desert adapt logo

No dia 5 de maio, a ADPM e o Município de Serpa dinamizam um workshop sobre estratégias públicas de combate à degradação do solo, dirigido a técnicos de autarquias e aberto a todos os interessados. A sessão tem início marcado às 9h30, no auditório do Musibéria, em Serpa. A participação é gratuita mas a inscrição é obrigatória.

Com 94% de suscetibilidade à desertificação, os municípios do Baixo Alentejo necessitam de implementar estratégias que permitam atingir a “neutralidade da degradação dos solos” (Land Degradation Neutrality), um conceito definido pela Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD) que tem como objetivo promover um equilíbrio entre a degradação do solo e a sua recuperação. Desta forma, prevê que ações de degradação possam ser compensadas com ações de recuperação do solo numa determinada área geográfica, promovendo a preservação deste recurso essencial e, assim, prevenindo a desertificação.

Fazer parte da solução: que estratégias podem ser promovidas por autarquias? 

Municípios e proprietários são chamados a definir e implementar medidas que permitam restaurar áreas degradadas e implementar medidas de gestão sustentável do solo. Durante o workshop, representantes nacionais da Convenção de Adaptação às alterações Climáticas apresentam e discutem o Plano Ação Nacional para o combate à Desertificação. Seguem-se exemplos de projetos a nível local, dirigidos por ONGs e por Municípios, com o objetivo de reverter a degradação dos solos e assim potenciar territórios mais resilientes às alterações climáticas.

Após a ronda de apresentações, os participantes vão poder contribuir diretamente para o planeamento de soluções de combate à degradação dos solos, neste que será o segundo workshop dedicado à temática “Desertificação e Políticas Públicas no Baixo Alentejo: respostas locais para um problema global”. No primeiro workshop, participantes de autarquias e entidades diretamente relacionadas com o ordenamento, gestão do território e conservação da natureza, definiram objetivos de combate à desertificação. Neste segundo workshop, os participantes são desafiados a contribuir com soluções concretas e implementáveis à escala local. O objetivo é criar um documento de orientação estratégica e política, que facilite a tomada de decisão a nível local e regional.

Esta iniciativa insere-se no âmbito do projeto LIFE Desert-Adapt, confinanciado pelo programa LIFE da União Europeia, que visa desenvolver, demonstrar e promover estratégias e técnicas para adaptação às Alterações Climáticas de áreas mediterrânicas sob risco de desertificação, para adaptação às alterações climáticas em áreas mediterrânicas sob risco de desertificação. Com o objetivo de testar técnicas para reverter a degradação do solo, ao longo do projeto foram intervencionados 300 hectares nos concelhos de Mértola, Serpa e Beja. Foi ainda criada uma “Rede de Replicadores”, com cerca de 40 entidades privadas e públicas envolvidas, comprometidas a implementar um “Modelos de Adaptação à Desertificação” em mais de 3000 hectares. O projeto pretende assim promover um uso do solo mais eficiente, reduzir a sua erosão e promover a sua conservação.

Inscrições gratuitas mas obrigatórias, aqui.

Informação enviada pela ADPM Mértola, membro da Rede Rural Nacional.