ultrapassar navega��o
  • 1perfis.png
  • beterraba_sacarina.jpg
  • cao.JPG
  • cesar_rebanho.JPG
  • DSC00916.JPG
  • exotico.png
  • exotico2.png
  • exotico3.png
  • FIG-2.png
  • FIG32.png
  • IMG_1328.jpg
  • perfis-1.png
  • prado_Matela.JPG
  • slide1.png
  • vinha-douro.png
FacebookTwitterGoogle BookmarksLinkedin


Global Soil Partnership

EUROPEAN P SOIL

dia do solo 2017

RTEmagicC WSD 17 Poster KeyMsg PT 05.pdf

  • lema1.png
  • lema4.png
  • lema3.png
  • lema2.png
abril 2019
D Sb
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30

 

DIA DO SOLO2

 Healthy Soils for a healthy Life

MediNet - Dia do Agricultor 09/10/18

Medinet Life

O Projeto LIFE MediNet, financiado pelo Programa LIFE da UE é coordenado pela Universidade de Túscia, sendo promotores em Portugal a Agência Portuguesa do Ambiente e o Instituto Superior Técnico.

Como parte das atividades de divulgação MediNet, foi organizado o “Dia do Agricultor” no passado dia 9 de outubro, onde ao longo de 1 dia, foram abordadas 3 temáticas:

  1. Emissões e sumidouros na agricultura: de onde vêm e quanto representam em Portugal?
  2. Apresentação dos resultados do Projeto LIFE MediNet
  3. Divulgação de boas práticas com impacto climático positivo que ocorrem em Portugal ou em Países de condições semelhantes

A apresentação dos resultados do Projeto LIFE MediNet - Mediterranean Network for Reporting Emissions and Removals in Cropland and Grassland – ficou a cargo de Paulo Canaveira, IST.

Tendo como horizonte em 2050 atingir a meta da neutralidade carbónica (redução de emissões e aumento do sequestro) através de políticas baseadas no conhecimento, este projeto propõe-se a melhorar a transparência, a consistência, a comparabilidade, a integridade e precisão da informação existente sobre emissões/sequestro (gases com efeito de estufa) associadas às culturas e solos agrícolas, matos e pastagens nos países do Mediterrâneo. Segundo a informação publicada por este projeto num inventário de emissões (dados referentes ao ano de 2016) o peso da agricultura no total de emissões nacionais é de 12,5% (+/- 8M tCO2eq.). Esta informação encontra-se no mesmo inventário desagregada por sectores de emissões (Energia; Processos e gases industriais; Uso do solo e alterações do uso; Resíduos) o que permite discriminar as emissões que correspondem por exemplo à fermentação entérica da produção animal (52%) aos fertilizantes, adubos e correctivos (31%) ou aos estrumes (13%).

Num segundo momento da iniciativa foram partilhadas experiências de parceiros como exemplo boas práticas a nível de impacte climático, em Portugal e noutros países do Mediterrâneo, sendo estes; o projeto LIFE Desert – Adapt; o projecto de pastagens biodiversas do grupo do spin-off Terraprima; o projeto LIFE Olive4Climate; a investigação sobre a aplicação de Biochar nos solos da Universidade de Aveiro; e o exemplo da Mitigação de Alterações Climáticas na Herdade do Esporão.

AQUI pode obter mais informações sobre o projeto e documentação.