Capturar

A Parceria Portuguesa para o Solo (PPS) promoveu esta sexta-feira, dia 4 de dezembro, a conferência comemorativa do Dia Mundial do Solo, reunindo num evento online, através de videoconferência, mais de cem participantes, entre representantes de entidades públicas e privadas, associações e federações, entidades do ensino superior, empresas e organismos do Estado.

O Dia Mundial do Solo é uma iniciativa da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que se assinala anualmente a 5 de dezembro, e que no presente ano de 2020 tem como tema “Manter o solo vivo e preservar a biodiversidade no solo".

A sessão de abertura esteve a cargo do Secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nuno Tiago Russo, que destacou a importância da atividade desenvolvida pela PPS, constituindo um importante estímulo para a reflexão da temática e um contributo ao processo de decisão para as políticas públicas. Na sua comunicação referiu que debater o tema do solo é falar de um “recurso vivo, da sua biodiversidade, da importância da sua preservação, mas também é falar da sua produtividade e do seu contributo para garantir o combate à mitigação das alterações climáticas”. O governante realçou que as alterações climáticas são a principal ameaça com que o planeta se depara atualmente, e uma ameaça também para a nossa existência. Nuno Russo, referindo-se à agricultura, afirma que o setor enfrenta “sérios desafios, destacando-se pelo impacto das alterações climáticas, a garantia da produção de alimentos para fazer face ao aumento da população mundial, a alteração da procura resultante de diferentes regimes alimentares, e a concentração da população em grandes cidades”. De acordo com o governante, os recursos naturais disponíveis para a agricultura são cada vez mais escassos, sendo necessário minimizar processos de desertificação, evitar a degradação do solo, e promover a sua recuperação, através de uma gestão mais eficiente dos recursos hídricos, promover a fixação de carbono, e reduzir a perda de biodiversidade.

O webinar prosseguiu com intervenções de um conjunto de especialistas, que deram a conhecer a importância do solo, nas diferentes perspetivas. A primeira palestra foi dada por Isabel Brito e Mário de Carvalho, docentes da Universidade de Évora, que apresentaram o documento “a Biodiversidade do solo – proteger e usar”. A comunicação seguinte foi proferida de José Costa, representante do Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral (GPP), que explicou o Plano Estratégico da PAC e o fez o enquadramento da temática do solo. Seguiu-se o tema do solo na perspetiva dos sistemas agroflorestais, por Alfredo Gonçalves Ferreira, docente da Universidade de Évora, mais concretamente da perspetiva dos montados. No painel de oradores estiveram ainda Rui Flores, representante da Herdade do Esporão, que apresentou a temática do ponto de vista do setor da vinha, e Francisco Pavão, Presidente da Associação dos Produtores em Proteção Integrada e Trás-os-Montes e Alto Douro (APPITAD), que trouxe o tema dos desafios que o Olival tradicional de Trás-os-Montes e Alto Douro enfrentam no âmbito dos solos.

Na sessão de encerramento o Diretor-Geral da DGADR, Gonçalo de Freitas Leal, focou o papel do solo como parte integrante dos sistemas terrestres, e como tal desempenha funções cruciais para as sociedades. “As funções e serviços que agora se reconhecem no solo vão muito além do seu papel tradicional de produção de alimentos”, refere o dirigente. Este importante recurso é “uma solução para a sustentabilidade, e foi nesse pressuposto que o Dia Mundial do Solo foi este ano dedicado à biodiversidade do solo”.

 

Os documentos apresentados na conferência, assim como os documentos apresentados na 7.ª Assembleia Plenária 2020 da PPS, de 4 de dezembro, estão disponíveis para consulta e podem ser descarregadas aqui:

 

A conferência comemorativa do Dia Mundial do Solo pode ser vista na íntegra através da página da Rede Rural Nacional no Facebook, em: https://www.facebook.com/rederuralnacional/live