1perfis.png
DSC00916.JPG
FIG-2.png
FIG32.png
IMG_1328.jpg
beterraba_sacarina.jpg
cao.JPG
cesar_rebanho.JPG
exotico.png
exotico2.png
exotico3.png
perfis-1.png
prado_Matela.JPG
slide1.png
vinha-douro.png
Anterior
Seguinte

São os Podzóis dominantes nas formações arenosas do litoral português? O caso da Mata Nacional de Leiria ( artigo publicado na Revista de Ciências Agrárias)

 CIENCIAS AGRARIASO conhecimento sobre os Podzóis que ocorrem em Portugal é escasso. Além de insuficientemente caracterizados, a sua verdadeira extensão e distribuição geográfica não é conhecida e o seu enquadramento taxonómico é controverso. Assim, foi desenvolvido um estudo visando aprofundar o conhecimento sobre tais solos. Estudaram-se as características morfológicas, físicas, químicas e mineralógicas de 22 pédones seleccionados na Mata Nacional de Leiria, formados em condições consideradas representativas daquelas em que os Podzóis ocorrem maioritariamente no País.

Os solos formados em tais condições compreendem tanto Podzóis como Arenossolos sensu WRB 2006, sendo os últimos claramente dominantes. Os Podzóis apresentam horizontes álbicos muito espessos e horizontes espódicos relativamente incipientes, bastante escuros, com teores de matéria orgânica (MO) pouco acima do mínimo definido como diagnóstico, e com baixos teores de Al e especialmente de Fe. Os Arenossolos incluem, por um lado, solos com morfologia semelhante à dos Podzóis (mas com menor expressão de acumulação iluvial de MO e de Fe e Al) e, por outro, Arenossolos que não apresentam aquelas características (os dominantes), mas em que podem ocorrer horizontes álbicos bem expressos. Os primeiros destes Arenossolos constituem intergrades para os Podzóis e não são satisfatoriamente enquadráveis no sistema da WRB. As características dos Podzóis estão fortemente associadas à fraca alterabilidade e elevada permeabilidade do substrato litológico (sedimentos quartzosos não consolidados).

Ler o artigo, na íntegra (versão PDF), publicado na Revista de Ciências Agrárias.

Autores: Fernando Monteiro*, Paulo Marques e Manuel Madeira

Centro de Estudos Florestais, Instituto Superior de Agronomia - Universidade de Lisboa, Tapada da Ajuda, 1349-017 Lisboa, Portugal,

E-mail:* Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.  (autor para correspondência).

  • Acessos: 81644